Informação sobre a disfunção eréctil, histórias e notícias relacionadas com esta condição e o seu tratamento.

24
Set 13

A disfunção eréctil trata-se de um problema do foro sexual que consiste na incapacidade de obter uma erecção ou de a manter durante a relação sexual. Estudos comprovam que apenas 10% dos casos têm como base problemas a nível orgânico. Os restantes 90% sofrem de algum tipo de causas psicológicas que contribuem para esta disfunção.

Causas psicológicas da disfunção eréctil

 


No que toca aos factores que agem como causas psicológicas da disfunção eréctil, existem vários que contribuem fortemente para a incapacidade de iniciar ou manter uma relação sexual. Uma das causas a nível psicológico pode-se prender com um trauma no campo sexual que afecte o paciente com este tipo de problema. Por outro lado, a depressão, ansiedade ou até mesmo o stress podem ter um papel importante no surgimento da disfunção. 

Quando um homem está envolvido em relações consideradas "casuais" pode-se criar um tipo de ansiedade de desempenho, levando-o a ter medo de falhar e não satisfazer a/o parceira/o de forma plena. Ao mesmo tempo, algumas falhas na performance sexual podem levar a problemas futuros de disfunção eréctil. A esse tipo de causas podem estar ligados aspectos como problemas de comunicação entre o casal ou até mesmo interferências externas provenientes do ambiente circundante. 

Todas estas causas psicológicas da disfunção eréctil podem contribuir para o agravamento da condição, pois a incapacidade de obter e/ou manter a erecção facilmente afectam o estado psicológico do paciente em questão. Com a evolução deste problema surgem cada vez mais inibições, receios e vergonha pelo facto de não conseguir usufruir do acto sexual em pleno e, por consequência, não agradar a/o parceira/o de forma satisfatória. 

Para que a disfunção eréctil não tenha um grande impacto psicológico na sua vida, aconselhe-se com o seu médico e juntos cheguem ao fundo da questão e descubram quais as melhores formas de tratamento para este problema sexual.

 

publicado por Tim às 12:13

17
Set 13

A disfunção eréctil é medicamente explicada como a incapacidade de obter uma erecção ou de a manter de forma a que aconteça a penetração peniana. Estudos comprovam que 2 em cada 3 homens com diabetes sofrem de disfunção eréctil, desenvolvendo esta condição 5 a 10 anos mais cedo do que um homem que não sofra deste problema. 

Disfunção eréctil e diabetes

 



A disfunção eréctil e diabetes estão primariamente interligadas . Isto quer dizer que a diabetes contribui para vários problemas de saúde que, por sua vez, contribuem directamente para o surgimento da disfunção eréctil. Um dos danos resultantes da diabetes é a neuropatia, que danifica nervos por todo o corpo, pénis incluído. A aterosclerose está ligada também com a disfunção eréctil e diabetes pois esta condição faz com que o sangue flua com mais dificuldade nos vasos sanguíneos, que no caso são mais finos e delicados quando se localizam no órgão sexual masculino. 

Por fim, outro factor ligado com a diabetes e a disfunção eréctil é o controlo do nível de glicemia. Níveis elevados/descontrolados de glicemia fazem com que o óxido nítrico não seja produzido de forma suficiente, o que faz com que este vaso-dilatador não funcione em pleno, resultando em uma erecção fraca ou menos forte. 

Disfunção eréctil e diabetes: Tratamentos

Uma questão fundamental a ter em conta no tratamento da disfunção eréctil em casos de pacientes diabéticos é o controlo da glicemia. Este controlo incluí mudanças de estilo de vida como a inclusão de exercício físico e de uma dieta cuidada, proibição de fumar e a introdução de medicação específica para diabéticos. Após a estabilização dos níveis de glicemia podem ser experimentadas outras soluções para a disfunção eréctil como medicamentos de prescrição, injecções aplicadas no pénis, utilização de vácuo ou até mesmo terapia com hormonas. Consulte sempre o seu médico antes de utilizar qualquer tipo de medicamentos, para que seja devidamente acompanhado e aconselhado.

 

publicado por Tim às 13:13

03
Set 13

Apesar de a falta de desejo sexual ser mais comum nas mulheres que nos homens e de estes mesmo com problemas de erecção conseguirem manter o seu desejo sexual e a vontade de fazer sexo, esta situação também se pode inverter, principalmente com o avançar da idade. À medida que o homem envelhece, é normal desenvolver alguns problemas do foro sexual, que se prendem essencialmente com a capacidade em conseguir ou manter uma erecção suficiente para penetração. Porém, em muitos homens o desejo sexual pode permanecer desde sempre baixo, demonstrando pouco interesse pelo sexo, como pode ser motivado pela insegurança relativamente à sua performance sexual.

 

 

Como é que a disfunção eréctil se pode relacionar com a falta de desejo?

 

Para muitos homens, os problemas de erecção são um motivo para se afastarem das suas parceiras devido ao embaraço que podem causar. Esta situação pode levar à diminuição do desejo sexual por parte do homem, principalmente quando não é procurado tratamento para resolver esta questão. A componente psicológica associada à disfunção eréctil é o principal motivo para a diminuição da procura de relações e de intimidade. De outra forma, a disfunção eréctil em nada se relacionada com a baixa libido, uma vez que uma não implica a outra. Um homem pode sofrer de disfunção eréctil mas manter o seu desejo sexual e vice-versa, pode ter falta de desejo sexual e conseguir e manter erecções na perfeição.

 

Quais são as principais causas para a baixa libido nos homens?

 

Tal como nas mulheres, a falta de desejo sexual pode relacionar-se com causas físicas ou psicológicas. De entre as causas físicas mais comuns destacam-se o alcoolismo, a obesidade, níveis de colesterol alto e baixos níveis de testosterona. Por outro lado, a depressão, o stress e a ansiedade podem também influenciar o desejo sexual masculino. Quando procurar ajuda? Se a falta de desejo sexual se mantém por um período prolongado e não consegue superar este problema sozinho, fale com a sua parceira sobre esta questão ou consulte um médico para que possa ser diagnosticada a causa do problema. A terapia com um especialista pode ajudar a superar a falta de desejo sexual, permitindo que siga a sua vida normalmente. Actualmente não existe nenhum medicamento que permita aumentar o desejo sexual nos homens, a não ser que este se relacione com a diminuição dos níveis de testosterona. Por outro lado, se a falta de desejo sexual se relaciona com a baixa confiança por não conseguir uma erecção suficiente para relações sexuais satisfatórias, existem tratamentos para restabelecer a sua vida sexual, que permitem erecções fortes e duradouras.

publicado por Tim às 10:41

Setembro 2013
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

subscrever feeds
arquivos
Google +1
Twitter
mais sobre mim
pesquisar
 
Contador
blogs SAPO